Três Grandes Indicadores do Varejo (Parte II)

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

 

Na primeira parte do artigo (que você pode acessar aqui), falamos sobre o Ganho ou a Margem de Contribuição que seria o indicador ideal para aferir o desempenho das vendas no varejo. Hoje vamos tratar da Despesas Operacionais (DO) uma variável importante que todo varejista deveria cuidar com muita atenção.

Como vimos anteriormente, para apurar o Ganho precisamos abater todos as despesas que são essencialmente variáveis, ou seja, aquelas que se não vendermos, não há teremos. Um exemplo óbvio é a comissão dos vendedores, sem venda não teremos comissão. Agora na DO, vamos tratar de todas as outras despesas, tudo que não for 100% variável entrará aqui.

 

Na Teoria das Restrições (TOC), a DO é tudo aquilo que se gasta para transformar o Investimento em Ganho. Então qualquer gasto que não for variável entrará nesta conta, aqui somaremos a folha, o aluguel, água, luz, telefone, internet, software, contador, depreciações e qualquer outra despesa que não as essencialmente variáveis.

 

Dessa maneira, o lucro e ou prejuízo da operação, seria dado pela diferença entre Ganho e a Despesa Operacional. Portanto, segundo a TOC, para ganhar dinheiro não basta ao varejista gerar dinheiro na venda, é essencial também não perder dinheiro na operação.

 

Aqui consigo enxergar e classificar dois grandes grupos de varejistas que conheci durante minha experiência profissional. O primeiro são aqueles que realmente possuíam um toque de midas para gerar Ganho para suas lojas. Eles sempre estavam a um passo da concorrência, conseguiam acertar no mix e a oferta certa para a clientela, mas geralmente não possuíam habilidades administrativas e perdiam muito dinheiro na operação. Em outras palavras, geravam Ganho mas também tinham Despesas Operacionais altas, gerando lucro, mas podiam gerar muito mais com pequenos avanços na eficiência operacional.

 

Um segundo grupo são aqueles administradores natos, que tem uma operação eficiente, mas que pecam na geração do Ganho, geralmente são os que inovam menos, ousam menos, mas são bastante seguros e que possuem a operação na mão, claro que estes também lucram, por ter uma Despesa Operacional pequena, mas não tanto como gostariam porque possuem um Ganho também pequeno.

 

E como faço para gerenciar, controlar e reduzir minha DO? Aqui não tem segredos, você deve adotar processos altamente eficientes, contratar bem as pessoas que irão gerenciar esses processos, treiná-las a exaustão, e depois disso, automatizar o máximo que for possível, usando a tecnologia a seu favor para suportar a operação.

 

Agora, se você deseja ser um campeão do Varejo, você tem que fazer extremamente bem estas duas coisas: gerar altos Ganhos e ser muito eficiente para reduzir a sua DO. Aqui nós podemos ajudar e muito, pois a nossa empresa faz justamente isso há mais de 20 anos, ajudamos a reduzir a sua DO através do aprimoramento da eficiência operacional, e como fazemos isso? Simples, através da implantação de processos eficientes, testados e aprovados em dezenas de operações comerciais, e da automatização destes processos através de nosso ERP, o Nérus.