Livraria Leitura investe em tecnologia para crescer

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

leitura2 1 e1557409747714 Livraria Leitura investe em tecnologia para crescer

Segunda maior rede de livrarias do Brasil aprova o Nérus para suas quase 80 lojas no país

Dezembro, com o Natal, e janeiro, com a volta às aulas, são os meses mais intensos na rede Livraria Leitura, a segunda maior vendedora de livros do Brasil. Nesse último Natal, a rede mineira emitiu, em média, vinte mil documentos fiscais por dia.

Screenshot 1 Livraria Leitura investe em tecnologia para crescerNa volta às aulas, o número de emissões diárias foi menor, mas foram notas mais complexas já que em cada uma entraram dezenas de itens, como lápis, borracha, cadernos e toda a lista de materiais para o ano escolar.

Apesar desse “tsunami” nos caixas, correu tudo bem, especialmente nas 32 das quase 80 lojas da rede que já utilizam o software Nérus. Foi um teste de fogo do software.

“Correu dentro de nossa expectativa. A partir de março, queremos virar quatro lojas por mês para o Nérus e chegar com ele a toda a rede no começo de 2020.” (Marcus Teles, sócio-diretor da Leitura)

A Livraria Leitura iniciou a avaliação do Nérus em 2017, em duas lojas. “Para experimentar”, diz Teles, que conta que a Leitura já usou, em seus 52 anos de atuação, outros programas de gestão.

“A frente da loja se adapta mais fácil a um novo sistema, mas é na retaguarda que as coisas pegam. Não é uma tarefa simples, pois exige a transferência de estoque, preços, dados financeiros. É um período de uns dois meses de ajustes, treinamento, mas a implantação Nérus correu bem”. (Oberdan Braz, gerente-geral da Leitura)

Leia também: O que não pode faltar em um software de gestão no varejo? Como escolher o seu?

Sistema customizado para as particularidades do negócio

A rede procurava um sistema que pudesse ser customizado para as particularidades do negócio, como a pré-venda, feita pelo vendedor, que antecipa parte do trabalho do caixa e acelera o fechamento da venda. Ou o controle da consignação: as editoras deixam os livros nas livrarias e depois fazem a contagem do encalhe, para o acerto mensal das unidades vendidas.

“O desenvolvimento tem sido bom e a maioria das customizações foram atendidas. Temos um TI muito bom, com nove pessoas, para as situações do dia a dia, mas quando precisamos de suporte a Nérus sempre está presente. O sistema é estável”. (Marcus Teles, sócio-diretor da Leitura)

Retorno cauteloso ao e-commerce

O software Nérus, com suas funcionalidades integradas, encaixa-se na filosofia da Livraria Leitura, que possui uma estrutura enxuta e uma prática de simplicidade.

A sede da empresa, em Belo Horizonte, é ampla, mas despojada. As áreas de Marketing, RH, TI e uma parcela de Compras são centralizadas para toda a rede, o que permite melhor gestão e negociações. É uma empresa que toma decisões com os pés no chão. Em 2013, a Leitura abandonou o comércio on-line, no qual havia entrado em 1998.

“Saímos porque precisávamos encontrar, primeiro, uma forma de ganhar dinheiro vendendo no e-commerce. Estamos retornando com um modelo novo, mas vamos manter a cautela. O importante é manter a saúde da empresa.” (Marcus Teles, sócio-diretor da Leitura)

Um colosso do setor de livros e presentes

Screenshot 4 Livraria Leitura investe em tecnologia para crescerA Livraria Leitura é um colosso em seu setor. Com 52 anos de atuação no mercado, essa empresa familiar vendeu, em 2018, quase 6 milhões de livros. Isso representa cerca de 8% de todos os livros vendidos no mercado privado do país.

Os livros representam 55% do faturamento da rede, que também vende artigos de papelaria, material escolar e presentes. Ainda conta com uma distribuidora atacadista de livros e a rede D+, dedicada a artigos para o lar.

O negócio cresceu 9% em 2018. Um desempenho surpreendente em um setor que assistiu, ano passado, duas de suas tradicionais redes varejistas (Saraiva e Cultura, ambas de São Paulo) entrarem em recuperação judicial.

O sucesso e a longevidade da Livraria Leitura baseiam-se em três pontos:

  • administração familiar muito presente no negócio;
  • avaliação criteriosa do desempenho de cada loja;
  • trabalhar sem endividamento.

Todas as lojas têm um membro da família Teles como sócio majoritário. O sócio local toca o negócio e todos são continuamente avaliados.

“Em média, abrimos de cinco a sete lojas por ano e fechamos uma ou duas de menor desempenho econômico. Essa é uma forma de manter a rede saudável. E trabalhamos com capital próprio. As dificuldades do setor, em 2018, pesaram especialmente sobre as redes muito endividadas.” (Marcus Teles, sócio-diretor da Leitura)

Marcus é o caçula de 15 irmãos de uma família de Dores do Indaiá, cidade do centro-oeste mineiro. A Leitura foi fundada em 1967 por Emídio Teles, irmão de Marcus, na Galeria do Ouvidor, no centro de Belo Horizonte. O negócio se consolidou com a chegada dos irmãos Belmiro, Gervásio e Marcus e hoje, entre os sócios, encontram-se alguns sobrinhos que foram preparados para entrar no negócio. E para manter os talentos na rede, a cada ano, em média, um dos gerentes de loja é convidado para entrar na sociedade.


Leia também:

Como o Nérus ajudou a otimizar a operação das Lojas Móbile

Gestão integrada otimiza resultados