5 passos para a prevenção de perdas no varejo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Balde furado 1 5 passos para a prevenção de perdas no varejo

 

É na crise que temos uma noção da robustez e da força de nossa operação comercial.

Nos momentos de bonança, até vender gelo para esquimó faz sentido e as vezes parece que vai dar certo. Mas é só a primeira marolinha nos atingir para que percebamos que não é bem assim. E que, para fazer dinheiro de verdade temos que ser bem melhores que a média.

Por isso, reunimos neste texto uma série de dicas de prevenção de perdas no varejo. São 5 passos que você deve seguir. Um verdadeiro manual de perdas no varejo.

Veja também: 4 piores erros ao fazer a gestão financeira no varejo

A importância da prevenção de vendas no varejo

Mas infelizmente, é somente quando as vendas começam a declinar que a maioria dos varejista se voltam para dentro das lojas em busca da otimização dos processos e da redução das perdas da atividade.

O fato não é novo. Mas é gravíssimo no varejo e tem que ser enfrentado. Estamos há mais de 25 anos ajudando o varejo a aprimorar a gestão dos seus negócios, e verificamos isso acontecendo a todo o momento.

São inúmeras situações de perdas. Desde o desperdício de tempo e esforço por processos feitos de maneira artesanal, extremamente depende das pessoas, ou pela total inexistência de indicadores.

Essa são algumas práticas empresariais tão cantadas em verso e em prosa, mas tão negligenciadas no varejo. Lembre-se: tudo que não é medido não pode ser gerenciado.

Dados de pesquisa sobre perdas no varejo

Pra reforçar nossa visão, está aí a última pesquisa realizada pelo instituto IBEVAR e pelo programa Provar da FIA-USP. Mais uma vez ela constatou  as enormes perdas que as pequenas e médias empresas varejistas sofrem cotidianamente no desempenho de suas funções.

Acreditem ou não as perdas medias do pequeno varejo estão em torno de 7,2% das vendas ao ano.

Se compararmos com as grandes empresas do varejo que possuem perdas de 2,31%, podemos concluir que a falta de gestão custa ao pequeno varejista no mínimo 5% das vendas ao ano.

Essa é a má noticia. A boa noticia é que colocar esses 5% das vendas no bolso, só depende de você. Por isso, melhorar a sua gestão e estancar as perdas, é urgente, não é mesmo?

Mas como fazer isso? como fazer a prevenção de perdas no varejo? Existem várias maneiras, mas vou sugerir alguns passos iniciais que você pode adotar agora.

Veja mais dados sobre as perdas no varejo neste gráfico retirado do material Perdas no Varejo, do SEBRAE:

prevencao perdas no varejo 5 passos para a prevenção de perdas no varejo
Prevenção de perdas no varejo: SEBRAE

Manual de prevenção de vendas no varejo em 5 passos:

Passo 01 – Acredite que sua operação é ineficiente e que pode melhorar muito!

Muitos varejistas quando são informados dessa pesquisa, simplesmente não acreditam que seja verdade. E há outros que até acreditam, mas julgam que só acontece na empresa do concorrente do outro lado da rua.

Na empresa dele, cercada de funcionários de muitos anos, alguns sendo considerados mais parentes próximos do que colaboradores, o empreendedor se sente protegido

– “Eles cuidam de mim e eu cuido deles!”

–  “Eu acredito nas pessoas”

Essas são as frases que costumo ouvir. Pois saiba que a negação é primeira reação quando descobrimos que algo não está de acordo com o nosso mundo já conhecido.

Depois que se descobre que as coisas não são bem assim, o processo de arrumação da casa começa. Geralmente isso acontece quando o lojista tem mais de 5 lojas e os problemas de perdas começam a afetar o caixa.

Passo 02 – Concentre-se no estoque e no crediário

Com base em nossa experiência acumulada, podemos afirmar que grande parte das perdas nos pequenos e médios varejista se concentram em duas áreas:

  • no estoque;
  • no crediário.

Então, a prevenção de vendas no varejo deve ter foco nessas áreas.

No estoque, encontramos com muita recorrência uma falta de planejamento de compras aliada a uma estrutura amadora na gestão de estoques.

Isso somado leva a perdas imensas por carregamento de um estoque muitas vezes superior ao giro mensal e também pela obsolescência do produto.

Sem falar no extravio, roubo e a quebra na movimentação desse estoque entre as lojas.

Leia também: 5 dicas de controle de estoque que vão mudar sua forma de trabalhar

Crediário e prevenção de perdas no varejo

No crediário, as perdas se concentram na falta de uma ferramenta adequada para aprovar o crédito solicitado. Além disso, a gestão da cobrança, que opera hoje como operava na década de noventa, baseado nas cartas de cobrança e na denuncia ao SPC.

Esse enfoque hoje em dia leva o crediário a acumular perdas acima de 7%. E em muitos casos bem acima disso. Inviabilizando, assim, totalmente a operação.

Com isso, induzindo o varejista a acreditar que o crediário é ruim.

Realmente um crediário mal gerido é muito ruim para a operação. Mas um crediário bem administrado, com uma boa gestão da inadimplência, pode ser o segredo do sucesso em muitas operações comerciais.

Portanto, se você quer praticar a prevenção de perdas no varejo, fique atento a essas áreas e tenha certeza que existem muitas coisas a melhorar

Passo 03 – Contrate consultorias especializadas

Nada possui um retorno tão grande como a contratação de um especialista na área.

Você sabe o que faz um consultor empresarial?

Além de poupar tempo e dinheiro, acrescenta na operação um know-how que a empresa levaria meses ou anos para acumular. Rompendo, assim, o eterno ciclo de aprendizado do varejo de tentativa e erro.

Então se você tem grandes problemas no estoque, contrate um especialista em compras e um especialista de logística. Esses dois profissionais vão lhe ajudar a revolucionar a sua operação.

A mesma coisa vale para o crediário. Somente tente evitar a todo custo a contratação de um consultor X-tudo. Aquele que dá palpite em tudo, mas que realmente não sabe nada.

Lembre-se consultor bom, tem foco.

Passo 04 – Crie indicadores para gestão a vista

Depois que você contratou um consultor, espera-se que tenha construído um processo e um sistema que funciona e que já esteja gerando resultados.

O próximo passo é você construir os indicadores e ensinar à equipe a ler os instrumentos, fazendo o avião voar!

Para cada área tenha no mínimo 3 e no máximo 7 indicadores de gestão. E faça gestão à vista.

Ou seja, coloque os indicadores em uma área visível a todos, mostrando os progressos e também as involuções, caso ocorram.

Isso gera engajamento e confiança na equipe, todos gostam de torcer e vibrar com um time que está ganhando, não é mesmo?

Confira em nosso blog: Três grandes indicadores de desempenho no varejo

Você sabe como criar indicadores? Então, confira este vídeo da Siteware:

Passo 05 – Automatize ao máximo os seus processos

Agora o gran finale! Já que você tem os processos e os indicadores, automatize tudo que puder.

Exija que tudo seja feita com a ajuda de hardware e software. Assim, facilita a vida de seus colaboradores e obtém alta produtividade de todos.

Se o inventário de sua loja levava quase o dia inteiro, depois de automatizado, leva menos de 2 horas. E o nível de assertividade chega perto dos 99,95%.

Se antes a inadimplência e a cobrança ocupavam muitas pessoas e exigiam horas de dedicação, agora tudo flui mais fácil, rápido e eficiente.

Veja mais: O que considerar na hora de escolher uma empresa de software?

Aproveite o máximo que a tecnologia pode lhe oferecer para tornar os seus processos e a sua equipe mais produtiva e feliz!

E você, o que acha que pode fazer para melhorar as suas perdas? Fale com a gente, entre em contato, teremos o maior prazer em conversa mais um pouco sobre isso!

Leia também: Tecnologia no varejo: a protagonista do seu negócio!

Nérus é um ERP especialmente desenvolvido por especialistas nesse ramo. Com ele, você automatiza diversos processos, reduzindo substancialmente as perdas no varejo e gerindo seu negócio com mais precisão.

Quer sabre tudo de varejo? Então, visite nossa área de conhecimento e tenha acesso a diversos materiais e até à EAD!