4 piores erros ao fazer a gestão financeira no varejo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

4 piores erros ao fazer a gestão financeira no varejo 1 4 piores erros ao fazer a gestão financeira no varejo

 

Gestão financeira é um dos maiores desafios dos empresários varejistas. Quando o objetivo é melhorar os resultados financeiros da empresa, muito pode ser feito — mas por onde começar e quais são as ações certeiras a serem tomadas no do dia a dia?

Acompanhe este artigo e fique por dentro de alguns dos piores erros ao fazer a gestão financeira do varejo e cuidar para não cometê-los?

Falta de controle do estoque

Pode parecer estranho falarmos de estoque na gestão financeira da empresa, mas para o varejo, geralmente os estoques representam mais de 50% do total dos ativos da empresa, e se não controlarmos o estoque não teremos uma gestão financeira saudável

Isso acontece quando você não tem controle do que está sobrando ou faltando no estoque, quais os produtos têm mais saída e quais são os menos procurados. Desta maneira, é difícil elaborar um plano de ação para melhorar os números.

Por exemplo: em caso de produtos de alto giro, é fundamental garantir que o estoque esteja abastecido com esses itens de maneira regular no menor espaço de tempo possível para evitar excessos. Do contrário, é possível que a empresa deixe de comercializar determinado produto por faltas ou carregue um custo excessivo por estocar demais.

Além disso, a validade dos produtos também precisa ser observada. Note que quando se faz um bom gerenciamento de produtos, com giro correto nos estoques, esse problema praticamente desaparece pois você passa a ter estoque renovado antes do vencimento das mercadorias.

Quando iniciei no mundo do varejo, a primeira grande lição que eu aprendi foi que quem controla o fluxo de caixa no varejo é o comprador. Deixe o comprador a vontade para comprar o que quiser e quando quiser, e você com certeza terá um grande problema de excesso de estoque e falta de recursos em caixa para administrar. Crie métricas para cada comprador e amarre o ganho variável dele ao retorno que a linha de produtos que ele compra gera para a empresa, assim você terá um aliado que vai se preocupar em comprar o que vende. Bom para você, ótimo para a gestão financeira.

5 dicas de controle de estoque que vão mudar sua forma de trabalhar

Esquecer-se de registrar as operações realizadas no dia a dia

Processos são a chave para que as empresas sigam o caminho do sucesso. É preciso que as empresas se comprometam a registrar todas as operações do dia a dia para ter controle total da situação. Dessa maneira será possível saber, por exemplo, quais os pedidos foram feitos aos fornecedores mas ainda não foram entregues; qual é o giro do estoque por grupo ou fornecedores; quais produtos estão faltando ou sobrando; quais produtos produzem as melhores margens, etc.

Com o registro das operações, também é possível ter um panorama mais abrangente de como a empresa tem se portado em um determinado período de tempo. Essa visão, também nós dará um retrato real da situação da empresa, com possibilidades de prevermos com antecedência como será a nossa real situação daqui a dois meses com bastante precisão, assim não teremos mais surpresas para administrar.

Não realizar o controle do fluxo de caixa

As movimentações financeiras da empresa precisam de atenção redobrada. Elas podem — e devem — definir ações estratégicas no dia a dia do negócio, sempre visando o crescimento. É possível, por exemplo, saber quais são os fornecedores mais importantes e relevantes para nosso negócio, quais as empresas que realmente devemos negociar para que possamos ter redução de custo efetivo. Não adianta nada conseguir um desconto de 20% de uma empresa que não representa nem 0,05% dos nossos custos, é muito esforço para nada.

É preciso ainda entender quanto dinheiro entrou em um determinado mês, de onde esse dinheiro veio, quanto dinheiro saiu e para onde esse investimento ou despesa foi.

Você controla todas as contas de sua empresa? Sabe com um click os valores que estão disponíveis nos bancos? E as contas de investimento? Sem esses controles administrar o caixa é impossível!

Não saber quanto cada produto custa

Não saber o valor de cada produto dificulta a precificação. Muitas empresas não se preocupam muito em estabelecer de forma extremamente consciente os valores dos produtos e serviços que serão comercializados e, por isso, acabam tendo prejuízos.

Uma situação relativamente comum é a empresa colocar um valor baixo em serviços prestados. Quando coloca-se todos os processos do dia a dia que precisam acontecer para que o serviço seja entregue corretamente, percebe-se que o valor pago é menor do que o custo total da empresa. Nesse momento, a triste realidade aparece: a empresa esteve perdendo dinheiro, e nesse estágio quanto mais se vende mais se perde!

Para evitar prejuízos na gestão financeira da sua empresa, ter atenção é fundamental, mas somente uma administração da rotina do dia a dia é que irá lhe trazer benefícios no médio prazo. Ou seja, somente com a sistematização das rotinas financeiras necessárias você garantirá a sobrevivência de sua empresa e os resultados serão alcançados.

E então, você tem alguma dúvida ou sugestão a respeito do assunto? Não deixe de comentar!


Leia também: 3 dicas básicas para implementar uma gestão financeira eficiente na sua empresa