Implantando Sistemas (e “Neurônios”) – 6 dicas importantes!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

5 dicas de controle de estoque que vão mudar sua forma de trabalhar1 e1435598365508 1 Implantando Sistemas (e Neurônios)   6 dicas importantes!

Depois de “bons anos” implantando sistemas de gestão, acabamos aprendendo ​algumas “armadilhas” com as quais devemos tomar muito cuidado.

​Para explicar melhor, uma das “estórias” que costumo contar para nossos Clientes e colaboradores é que “implantar sistemas é fácil” (muitos fazem cara de susto nessa hora…). O difícil, é implantar “neurônios” (ou ideias e conceitos na cabeça dos outros). Implantar sistemas, de maneira simplificada, é preparar o hardware necessário (computadores e acessórios) e instalar o software devidamente parametrizado nestes equipamentos. Contudo, implantar ideias é bem mais sofisticado pois exige motivação, esforço e muito aprendizado de ambos os lados. Implantar se parece muito mais com um processo de educação. Infelizmente, na maior parte das vezes, nos preocupamos muito com a primeira parte e nos esquecemos ou reduzimos muito a importância da segunda. Para implantarmos “ideias”, de forma muito reduzida, precisamos:

  1. Entender as pessoas que irão usar os sistemas– isso significa ouvir, refletir e principalmente confirmar o que entendemos. Exige envolvimento entre pessoas e especialização de quem está encarregado (a Nérus é muito especializada);
  2. Motivar e convencer as pessoas que temos algo que pode melhorar sua vida– isso significa investir um bom tempo explicando com cuidado que estamos trazendo algo novo que pode melhorar a rotina e a vida das pessoas na empresa (caso contrário, não compensaria usar um novo sistema);
  3. Aceitar que nem sempre nós (produtores de sistemas) estamos certos– sim, isso mesmo, muitas vezes agimos de forma arrogante entendendo que somos (produtores de sistemas) donos da verdade. Vez por outra, manter algo como funcionava (às vezes até manualmente) é muito mais prático e inteligente. Temos também que nos adaptar de vez em quando. Mais uma vez só especialização associada a maturidade permite enxergamos isso;
  4. Certificar que tudo foi feito dentro da qualidade esperada, em conjunto– ou seja, testar, testar, testar, testar… É preciso termos certeza que tudo foi devidamente ajustado, junto com quem vai usar. Em especial, o entendimento das pessoas sobre como o novo sistema vai funcionar;
  5. Certificar que além de funcionar, que as pessoas “aprenderam de fato”– existem vários nomes para isso (prova, certificação de conhecimento, controle de aprendizado, etc) mas no final é termos certeza que as pessoas que vão usar os sistemas estão devidamente treinadas. Temos que garantir o aprendizado. Neste ponto acreditamos muito em nossa metodologia, a MIG (metodologia de implantação e gestão da Nérus);
  6. Aceitar que o imponderável pode ocorrer– sabendo que imprevistos acontecem, temos que estar prontos para dar o apoio necessário as pessoas que vão usar os sistemas. Além de treinar, é estar pronto para apoio no momento mais crítico que é o “uso do conhecimento”. Aprender é uma parte. Aplicar o aprendizado é outra totalmente diferente. Exige confiança, segurança pessoal.

Em resumo, implantar sistemas não é um bicho de sete-cabeças. Ajudar pessoas a entenderem, cooperarem e aplicarem o conhecimento adquirido é desafiador. Não subestime isso. “Educação é tarefa de profissionais”. Na dúvida, não arrisque. Chame o especialista. Se seu negócio é gestão de redes de lojas (varejo), a Nérus está aqui para isso se precisarem…